Skip to content

Bem Estar: Você x Malhação

3 de fevereiro de 2009

Momento Leitura: hoje vou colocar uma crônica que eu achei em uma revista okay!

Malhar virou obrigação… e se eu não quiser entrar nessa?

Frequentar a academia agora está na lista de tarefas obrigatórias do dia-a-dia, ganhou valor e importância social e, por isso mesmo, acabou atraindo e também afugentando quem só queria se movimentar

Quando a malhação se tornou regra, as pessoas se dividiram em dois grupos: o dos que malham e fazem parte da “grande comunidade defensora do bem- estar” e o dos que não malham e sentem-se, de alguma forma, excluídos da turma do bem. Todo mundo conhece os benefícios da prática de um exercício físico. Os médicos e os especialistas não param de proclamar aos quatro ventos tais vantagens… Mas, enquanto não se experimenta de fato, até que os resultados apareçam, a idéia de correr à exaustão numa esteira, levantar pesos pesados, ia ao limite do fôlego – admita!- não parece atraente para ninguém. É aí que ocorre a resistência da mente, antes da conquista da resistência física (essa, sim, bem-vinda). A recusa mental atraplha sempre que ´preciso sair de velhos hábitos – que podem nos prjudicar. E não estou falndo de preguiça, mas, quase sempre de um medo que surge de você se tornar uma pessoa sem convicções, com tudo arrumadinho para não sofrer, sem a rebeldia de não querer seguir regras ditadas sei lá por quem, defendendo, até mesmo, o que não tem mais defesa: o sedentarismo. Então, se a ordem é  se movimentar, isso não significa que puxar ferro seja a única opção. Não se culpe por não querer ser uma rata de academia, existem alternativas bastante interessntes para resolver o seu dilema: dança circular, cavalgadas ao luar, bóia cross, pular corda com os filhos e o que mais a sua imaginação permitir, desde que tire o corpo do sofá por algum tempo. A atividade escolhida tem que estar associada ao prazer, a uma satisfação que, você  perceberá, tende a levá-la às experiências felizes da sua infância. Pense: a criança só quer se movimentar, briga para se mexer mais e brincar, correr, jogar bola… A menina que eu fui, que você foi, já se movimentou muito mais, já sentiu a satisfação e a alegria do corpo exausto. Muitas vezes, encontrar a atividade mais adequada requer reencotrar aquela felicidade perdida, o jogo com a turma, as risadas…

Quem sabe você não resgata essas emoções praticando vôlei, jogando capoeira, pulando na cama elástica, aprendendo uma arte circense?

O importante, realmente, é descobrir a sensação deliciosa que surge do desafio de vencer a própria resistência, a satisfaçãode se superar e dominar o próprio corpo, o fôlego e a cabeça. Pare de sofrer com cobranças. Relaxe e seja feliz. Você merece.

Solange Id
– psicóloga clínica
solang.id@uol.com.br

Fonte: Revista Corpo a Corpo – ed.: 237 – setembro/2008 – Editora Escala

Anúncios
One Comment leave one →
  1. 3 de fevereiro de 2009 15:38

    Olá..venha conferir meu brechó.
    Muitas novidadess.
    Te linkarei, me linka tbm?

    Beijus

    http://www.lolyta-brecho.blogger.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: